loader
VIRADA EMPREENDEDORA
COWORKING



clear

Capacite-se, participe, peça orientação e Empreenda!

 No Brasil estudos do SEBRAE e do *GEM apontam que, pela primeira vez, 52,4% dos novos negócios estão sob controle de mãos femininas.

• O Brasil está na 7ª posição do ranking mundial de empreendedoras, composto por 42 países, com 7,7 milhões de mulheres à frente de negócios.
• Em 2001, de cada 10 empreendedores por oportunidade, apenas 3 eram mulheres, enquanto 7 eram homens. Em 2008, a relação se igualou.
• Segundo a pesquisa, o que leva a brasileira a empreender é principalmente a necessidade. Mais da metade das entrevistadas (58%) partiu para o próprio negócio para ajudar nas despesas da casa.
 
Entrevistamos a Ana Lúcia Fontes, graduada em propaganda e pós graduada em marketing pela ESPM e Relações Internacionais pela USP. Participou do PDE-Programa de Desenvolvimento de Executivos da Fundação Dom Cabral. Atua na área de marketing há mais de 20 anos com passagens por empresas como Banco Volkswagen, Volkswagen do Brasil e FEBRABAN. É palestrante e consultora de marketing e foi uma das participantes do programa 10.000 Mulheres da FGV e Goldman Sachs.
 
 
 
 
Atualmente empreendedora do MyJobSpace-Coworking e Espaço para eventos e da Rede Mulher Empreendedora. É também Coordenadora do Curso de Gestão Empreendedora para Mulheres da FGV.
 
1 – Ana, como e quando percebeu a necessidade do apoio para o empreendedorismo feminino?
Quando abri meu primeiro negócio não imaginava a quantidade de problemas que ter um pequeno negócio pudessem existir e percebi que as mulheres, por representarem vários papéis, precisam de um apoio um pouco diferente, afinal elas são multitarefas e a gestão do negócio é uma delas. Fui selecionada para um programa da FGV e Goldman Sachs chamado 10 mil mulheres empreendedoras. Foi neste momento que percebi o quanto eu precisava de apoio. Modelo de Negócios, Finanças, Sociedade, etc. Enfim, vários assuntos em que pude conhecer melhor o funcionamento de uma empresa.
 
2 – O que é a Rede Mulher Empreendedora? 
A Rede Mulher Empreendedora é uma rede social para mulheres que possuem pequenos negócios, onde publicamos informações, serviços artigos sobre o mundo do pequeno empreendedor. Além disso elas podem gratuitamente publicar o perfil de suas empresas e trocar informações e serviços.
 
3 – Teve apoio de alguma instituição para seus empreendimentos?
Obtive um super apoio da FGV e do Programa 10 mil mulheres da Goldman Sachs e de mentores (pessoas que me apoiaram e apoiam).
 
4 – Dentre seus negócios possui um site para elogios via internet, qual considera o papel e importância da tecnologia no mercado atual? 
A tecnologia ajuda imensamente os pequenos empreendedores, um grande exemplo é o grande volume de startups de tecnologia que estão surgindo a cada dia. Sem a tecnologia certamente isto não seria possível. A tecnologia também abre um mundo de possibilidades para o empreendedor que pode divulgar melhor o seu negócio com poucos recursos. Tecnologia é uma oportunidade só precisa ter foco e saber usar da forma certa.
 
5 – Qual a abrangência e receptividade dos seus empreendimentos, poderia estimar o percentual de crescimento?
-  Rede Mulher Empreendedora: Esperamos um crescimento de 40% na base de usuárias cadastradas.
MyJoBSpace: Esperamos crescer 40% este ano na base de coworkers e de eventos.
- Virada Empreendedora: Estamos super otimistas esperamos um crescimento de 200% de publico em relação a 2012, pois abriremos o evento para mais localizações.
 
6 – Como qualificaria a experiência do seu período de empreendedorismo? Quais os ensinamentos?
Tive muitos ensinamentos, eu aprendi muito mais sendo empreendedora nestes 4 anos do que em 25 no mundo corporativo. Aprendi de fato o que é colaboração, aprendi a me arriscar mais, aprendi a sonhar os meus sonhos e não o sonho de alguém, aprendi o valor real do dinheiro para quem tem um negócio, aprendi que ter um negócio exige mais dedicação que o mundo corporativo, aprendi que apesar dos altos e baixos, ser empreendedor  é a melhor experiência profissional que já tive na vida.
 
7 – Qual seria seu aconselhamento para quem quer iniciar no empreendedorismo? 
Busque orientação, se capacite, existem vários cursos inclusive gratuitos. Fale muito, participe de eventos ligados ao mundo do empreendedor, busque pessoas que estão a mais tempo no mundo empreendedor para te ajudar. Não tenha vergonha de errar e nem tenha vergonha de não saber, ser empreendedor é aprender algo novo todo dia.
 
8 – Como considera o momento atual que o Brasil está vivenciando com relação ao empreendedorismo? O que considera que falta por parte das autoridades governamentais?
O Brasil vive um excelente momento na quantidade de empreendedores, mas ainda falta muita coisa para nos tornarmos um país empreendedor com resultados mais efetivos. O difícil acesso as linhas de financiamento, os altos impostos percentualmente, uma pequena empresa paga o mesmo que uma multinacional de impostos, principalmente em relação a folha de pagamento. Terem mais centros de apoio ao pequeno empreendedor com pessoas que de fato entendam o assunto e não somente com teóricos. Falta um foco mais forte em apoio e desenvolvimento mão na massa.
 
9  - Qual a diferencia do que você era profissionalmente antes e após a experiência do trabalho atual.
Puxa vida. Muitas, tanto que as vezes me pergunto porque não mudei antes para este mundo. Me acho mais tranquila, mais focada, mais preocupada com o mundo, com as outras pessoas e não somente com resultados numéricos como era no mundo corporativo. Nem sempre os resultados são números e dou mais valor ao meu trabalho hoje e me sinto muito mais realizada do que antes.
 
10 - O que a sua empresa espera do futuro, quais suas ações estratégicas para 2012 e 2013? 
Espero um futuro mais empreendedor para o Brasil. Não desprezo o mundo corporativo mas acredito demais que o empreendedorismo pode contribuir  para nos tornarmos um pais mais competitivo. Mas para isto temos que investir em educação, tanto de base para inserir a cultura empreendedora, quanto educação para quem almeja ser empreendedor. É nisto que queremos focar nossos negócios, educação empreendedora e apoiar pequenos empreendedores a desenvolver seu negócio, este é nosso objetivo, cursos, sessões de networking, consultorias, eventos, tudo que pudermos realizar para este objetivo.


Conheça mais sobre a Ana Fontes e sua experiência na Palestra: As 10 mil mulheres que vão mudar o mundo” no evento Epicentro! Venha aprender com Ana, sonhe e arrisque!
Esperamos você no Epicentro – FGV dia 3 de maio! Inscrição gratuita!!!
 
Fonte: Divulgação

Sobre o autor:
Equipe RME

OUTRAS NOTÍCIAS

2014

clear
NEWSLETTER
Receba notícias e novidades para ajudar você e seu negócio:
ASSINAR

SEGMENTOS
REALIZAÇÃO



Este portal foi desenvolvido pela Objecta internet, uma agência digital engajada com a iniciativa empreendedora e com os resultados online das pequenas empresas.